Apaixonada

Um e-mail pra ELE:
Todo dia escrevo um pouco pra você e, sobre você, mas não mando. Por orgulho, medo ou sei lá o quê. Ontem te fiz um texto (Não mando. Ficou muito dramático, uma novela mexicana), desejando tudo de bom e mais um pouco. Até coisas que não sei colocar no papal, e nem sei se essas certas coisas podem ser materializadas. Coisas assim não são escritas, faladas, e sim, sentidas.
Enfim, desejo que a sua vida seja repleta de realizações, sucesso, sabedoria, saúde, fé, alegrias, tempo e amor. Esqueça o que não deu certo, pois você tem uma nova página pra escrever a sua vida. Que você aproveite essa nova idade de maneira única e como se fosse a ultima. E ainda virão mais setenta e cinco ou mais pela frente. Muito mais. Que aconteçam coisas bem bonitas com você.
Aceita um conselho? Pare de viver a vida que você planejou e viva a vida que te espera. Ser sério demais não combina com você, não combina com felicidade. Vinte e cinco anos é uma idade ótima para ser feliz, e para ser feliz tem idade? Não, mas também não precisa deixar pra depois. Queria muito que você aproveitasse o agora com toda a intensidade do mundo, por você. Por um sorriso seu.
Gravei o teu sorriso, a tua voz (e que voz... kkkk) teu andar e o teu olhar, mas as vezes o tempo é tão atrevido que tenta apagar. E o que eu faço? Espero. Só que um dia o tempo vai ganhar da minha memória, e você nem pra me ajudar com um punhado de lembranças novinhas, né?
No ultimo e-mail que te mandei estava em um momento de insanidade, estressada e doente de saudade. Eu sei dar espaço, mas esse espaço me dá um aperto, sabe?
Sempre quis ter um amor platônico, e achei você.
PS: Sabia que aquele não seria o ultimo e-mail. Não sei se sou tão orgulhosa assim.
Parabéns, e um beijo enorme.
A resposta DELE:
Oooo princesa. Assim você me comove. A minha vida, realmente, já foi mais descomplicada. As coisas me acometem e eu, simplesmente, dou seguimento ao passo-a-passo dos compromissos; quando percebo, já se passou mais 24h e eu continuo na roda viva e amanhece um novo dia. 
Mas bem, é apenas uma explicação para que você perceba que o problema é macro. Acho, na verdade, que não é problema e sim resultado de um trabalho profissional árduo. Enfim, entenda que a questão independe de você, que tem sido muito atenciosa e tem feito a sua parte. Eu (ainda) não fiz a minha, ok?
Obrigado pela lembrança, fiquei muito feliz. Mantenha acesa a luz das memórias e que o tempo ainda leve alguns meses para varrer; até porque o tempo (ingrato) só deveria varrer memórias ruins, concorda?
Beijos.





Um comentário:

Tiabetok disse...

ADOREI AQUI..MUITO LEGAL SEU TEXTO..
PELO MENOS SEU EMAIL TEVE RESPOSTAS...
OS MEUS NUNCA TEM!!!!
BJO
ESTOU SEGUINDO!